Aquela do cara da loja de quadrinhos. - UOL Blog

Aquela do cara da loja de quadrinhos.


17/08/2009


Bradesco presença
Não sei se os marketeiros do Bradesco não conhecem o significado desta palavra para os apreciadores de Planet Hemp e Jamaicanos em geral ou se estão querendo aumentar o percentual de correntistas apreciadores de marijuana, mas que essa campanha ficou engraçada, ah, isso ficou.



Ainda mais com o Wagner Moura com cara de chapado, dizendo que em todos os lugares o Bradesco é presença.



Só falta agora convidar o Capitão Presença para ser o mascote da campanha. Se liga na presença, Arnaldo Branco.



Este texto também foi publicado no blog Tudo continua igual.

Escrito por Amalio Damas às 12h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/08/2009


Blogs temáticos.

A partir de hoje além desse espaço estarei publicando meus textos em outros cinco blogs. Qual o intuito de arranjar mais trabalho. Simples, dar uma identidade para cada um deles, já que muitos assuntos são tratados aqui, gerando uma certa esquizofrenia eletrônica.

 

Os quadrinhos agora estão no blog Aquela do cara da loja de quadrinhos, só que no Blogger.

 

O cinema e TV estão no Na telona e na telinha.

 

A fórmula 1 está no Fórmula 1 forever.

 

As histórias que eu invento estão no Causos e mentiras deslavadas.

 

Por fim, todos os outros assuntos estão no Tudo continua igual.

 

Aproveite para acessar desde já, porque todos estão com postagens novas, publicadas hoje.

 

A maioria dos posts será republicada neste espaço, afinal, um pouco de loucura precisa permanecer.

Escrito por Amalio Damas às 18h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

10/08/2009


De volta para o presente.

Porque é que a gente deixa o blog ás moscas. Sei lá! Mas voltei, antes tarde do que nunca e vou colocar alguns assuntos em dia:

 

Briga no Senado: não acompanhei, porque quando vi as manchetes com as palavras Collor e Sarney, pensei que era alguma reportagem sobre ex-presidentes. Ainda bem que nenhuma jornalista brasileira foi presa na Coréia do Sul, porque se elas dependessem de nossos ex-presidentes para serem libertadas...sei não. Se bem que o Itamar poderia achá-las bonitinhas.

 

Futebol: o São Paulo está perdendo. A manchete no Jornal do dia seguinte: "Corinthians empata novamente." O São Paulo está ganhando. A manchete do jornal do dia seguinte: "Corinthians perde e esté em crise". São Paulo é tetra-campeão brasileiro. Manchete do jornal do dia seguinte: "Por pouco Corinthians não é rebaixado." Final da Libertadores entre dois times brasileiros. O jogo televisionado é o amistoso entre Corinthians e Perth Glory da Austrália.

 

Cinema: assisti Era do Gelo 3. Consegue divertir adultos e crianças, ao contrário da maioria das comédias live-action que sempre são segmentadas para adolescentes e adultos. Será que só animações conseguem essa façanha hoje em dia?

 

DVD: assisti as 1ªs temporadas de Friends e McGyver. Ri muito com a primeira, apesar do visual meio dos anos 90. Com a segunda lembrei o que é possível fazer com um barbante, um clips e um canivete suiço.

 

Gibis: estou relendo toda a série Sandman. É impressionante como existem coisas que não envelhecem. Se você ler a maioria dos hits da Marvel e da DC lançados na mesma época é possível que você vomite depois, mas ler ou reler Sandman é sempre revigorante. Estou acompanhando também Vingadores x Defensores e até agora está divertida, vamos ver como se encaminha o desfecho.

 

Fórmula 1: duas grandes perguntas são aguardadas pelos fãs de automobilismo para os próximos GP's. A primeira, quando Massa volta? A segunda, será que Schumacher mostrará serviço? Acredito que no máximo em três GP's Massa deve voltar. Shumacher deve dar trabalho como sempre e se ficar muito tempo pode até ajudar Button ser campeão, tirando pontos dos adversários.

 

Amanhã, volto com novidades.

Escrito por Amalio Damas às 14h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

02/07/2009


Índio bom, índio mau.

Uma porta se abre e um homem cheio de pó e cansado chega na casa do irmão. Ele vem da guerra da secessão americana, lutou defendendo o lado que foi derrotado. O irmão, a cunhada e os sobrinhos o recebem bem. Ele sai, juntamene com o namorao de uma das sobrinhas para caçar algns índios que ameaçam as propriedades locais. Quando voltam sua família foi massacrada. Seu irmão e sua cunhada mortos. Suas sobrinhas sequestradas pelos índios. Ele e o namorado de uma das sobrinhas saem numa busca que dura muitos anos. Uma das sobrinhas é encontrada morta. A outra está em poder dos índios. Quando a encontram ele é uma índigena. O instinto do seu tio diz para matá-la porque ele já não faz parte da sua família.

Lutando pelo lado dos yankees e ferido durante uma batalha da guerra da secessão americana, o tenente John Dunbar não queria perder sua perna. Sem alternativa ele tenta o suicídio. Ironicamente ele muda o curso de uma das batalhas favoravelmente para o lado da união. Ele não perde a perna, vira herói, é condecorado e escolhe ir para a base mais distante onde o exército atua. Lá ele não encontra ninguém. Apenas um lobo. Ele arruma o lugar e tem curiosidade em ver búfalos. Ele trava contato com uma tribo de índios Sioux. Faz uma amizade forte com dois deles. Conhece uma branca que vive deste criança com os indígenas. Casa com ela e passa a viver como índio. Sua felicidade dura até a chegada de uma brigada de militares enviados para controlar sua antiga base. Ele é preso e rapidamente condenado como traidor.

Rastros de Ódio e Dança com Lobos são excelentes filmes produzidos em Hollywood, que retratam a mesma época. O fim da Guerra da Secessão americana e a colonização total dos estados americanos, unidos desde então. No primeiro, John Wayne é um confederado rancoroso que tem ódio dos índios, retratados como inimigos da civilização americana. No segundo, Kevin Costner é um soldado da união que repensa sua maneira de enxergar a vida convivendo com os índios, retratados como um povo incompreendido.

Dois ótimos filmes, que mostram como os homens brancos destruíram toda uma civilização de milhares de anos e como tudo poderia ter sido evitado.

Escrito por Amalio Damas às 16h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

A Guerra é um inferno.

Ontem assisti por acidente (acordando no meio da noite...ligando a TV...Intercine) um filme enfocando Dwight D. Eisenhower o comandante supremo das tropas aliadas durante a II Guerra Mundial. Mostrando um lado mais emotivo do comandante, o filme coloca em questão a validade de desperdiçar vidas humanas para um bem maior. Além disso, a trama mostra apenas os bastidores da preparação para o Dia D, 6 de junho de 1944, a estratégia que levou à vitória aliada. Tom Selleck encarnou Eisenhower, raspando a cabeça e seu costumeiro bigode.

 

A guerra sempre permeou a existência da espécie humana. Seja para defender territórios de inimigos desconhecidos ou para ampliar o poder de algum imperador do momento. O certo é que por decisão de algum mandatário, várias pessoas, por vontade própria ou obrigação, acabam pagando com a vida para que outros possam continuar trabalhando da forma que seus governantes achem melhor.

 

A I Guerra Mundial ficou conhecida por ser a mais sangrenta, mas nunca teve a importância de sua sucessora, principalmente por não ser tão documentada, em função dos recursos da época.

 

A II Gerra Mundial, foi aquela pela qual todos lutaram pela liberdade e contra o nazismo. Documentada e recontada à exaustão pelo cinemão norte-americano, a II Guerra sempre teve um caráter heróico exaltado, principalmente por causa do holocausto praticado pelos nazistas e mesmo que houvessem outros motivos, somos gratos a todos os que lutaram nas batalhas dessa guerra.

 

Isso mudou com as guerras que vieram a seguir, porque Vietnã, e as duas Guerras do Golfo, ironicamente desencadeadas por pai e filho em momentos distintos, tinham motivos políticos e econômicos que desagradaram a opinião pública sobremaneira.

 

Além das guerras empreendidas pelos superpoderosos Estados Unidos da América, o leste Europeu, o continente Africano e o Oriente Médio, nunca deixaram de ter um conflito sequer após o término da II Guerra.

 

A pergunta que fica é: será que a humanidade evoluiu mesmo após a II Guerra? Porque precisamos ficar brigando? 500 bilhões de dólares saem sabe-se lá de onde para a construção de estádios para uma copa do mundo, mas nenhum tostão é gasto para acabar com a fome no mundo.

 

Enquanto humanidade evoluímos muito tecnologicamente, porém ainda somos os mesmos Neanderthais de sempre.

Escrito por Amalio Damas às 15h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

23/06/2009


Carta aberta às autoridades brasileiras de educação

A população de uma forma em geral acompanhou a polêmica da distribuição incorreta para alunos de 5ª série do álbum "Dez na área, um na banheira e ninguém no gol", produzido por premiados autores em âmbito nacional e internacional e explorada de forma sensacionalista por diversos órgãos de imprensa, chegando inclusive a ser ofendido enquanto criação artística pelo Governador José Serra.

 

Quando parecia que o bom-senso estaria prevalecendo sobre um equívoco banal, eis que surgem novamentes vozes reacionárias defendendo a proibição nas bibliotecas escolares de álbuns de ninguém menos que Will Eisner, indiscutivelmente um dos maiores quadrinhistas da história. Inconformados com essa verdadeira afronta a cultura, os professores doutores Waldomiro Vergueiro, Paulo Ramos, Gazy Andraus e Roberto Elísio dos Santos, e não este pobre escriba semi-analfabeto, defendem de forma correta e embasada as HQ´s. Transcrevo abaixo a carta que nomeia esta postagem. Leiam com atenção e tirem suas próprias conclusões.

 

"Carta aberta às autoridades brasileiras de educação

 

Temos visto com muita ressalva atitudes recentes de retirada de obras em quadrinhos do norte-americano Will Eisner de bibliotecas de escolas. Entendemos tratar-se de um exemplo de desconhecimento sobre o conteúdo do material.
 
Levar tal material à escola corrige um equívoco histórico no Brasil. Houve uma época no país em que os quadrinhos eram nocivos somente por serem quadrinhos. A censura a eles escondia motivos de ordem política e comercial.
 
Retomar tais discursos, calcados na falta de argumentos sólidos, revive o fantasma de 60, 70 anos atrás.
 
Assim como a literatura, os quadrinhos são forma de leitura autônoma, com forte eco entre os alunos, como confirma a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada em 2008.
 
O argumento de que os livros de Eisner são inadequados ao estudante do ensino médio, a quem foram direcionados, é frágil e revela uma leitura equivocada e parcial do conteúdo, resumido a poucas cenas.
 
“Um Contrato com Deus e Outras Histórias de Cortiço”, “O Sonhador” e “O Nome do Jogo” mostram histórias de vida, ambientadas nos EUA nas décadas iniciais do século 20.
 
As situações que podem agredir a uns integram a realidade vivida pelo autor, que passou a infância e a juventude na mesma época, nessas situações.
 
Apesar das dificuldades, Eisner, falecido em 2005, tornou-se um dos mais respeitados autores de quadrinhos do mundo.
 
São dele alguns dos primeiros romances gráficos produzidos nos Estados Unidos. O gênero encontra em 2009 várias publicações produzidas por autores brasileiros.
 
A escola tem a função de levar o mundo ao estudante por meio de leituras e de práticas de letramento, inclusive visual.
 
Os três quadrinhos em pauta oferecem tais conteúdos, acentuados se direcionados aos alunos por meio de práticas pedagógicas afins.
 
Reiteramos a qualidade das três obras do PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola) e defendemos que podem, sim, ser levadas aos estudantes do ensino médio.
 
E devem integrar bibliotecas escolares, e não serem retiradas dela. O simples controle de empréstimo das obras resolver as questões de acesso a alunos das séries iniciais.
 
Os argumentos em contrário têm se mostrado infundados, fruto de receio e não de fatos. Dos pontos de vista do conteúdo e pedagógico, oferecem rico material a ser usado com os alunos.
 
Assinam a carta os doutores
 
Elydio dos Santos Neto, docente-pesquisador do mestrado em Educação da Universidade Metodista de São Paulo.
 
Gazy Andraus, professor da Unifig (Centro Universitário Metropolitano de São Paulo) e vencedor do Troféu HQMix, em 2007, na categoria melhor doutorado. 
 
Paulo Ramos, jornalista e professor adjunto do curso de Letras da Unifesp (Universidade Federal do Estado de São Paulo). É autor de “A Leitura dos Quadrinhos” (2009) e co-autor de “Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula” (2004).
 
Roberto Elísio dos Santos, professor de comunicação da USCS (Universidade de São Caetano do Sul). É autor de “Para Reler os Quadrinhos Disney” (2002) e um dos organizadores de “Mutações da Cultura Midiática” (2009).
 
Waldomiro Vergueiro, livre docente em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo e professor titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. É coordenador do Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP e um dos organizadores do livro “Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula” (2004)."

 

Fonte: Blog dos quadrinhos.

Escrito por Amalio Damas às 17h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

22/06/2009


Final de semana esportivo.

Poltrona bola

Ontem tivemos vários eventos esportivos que ajudaram a esquecer Faustão, Silvio e Gugu, pelo menos por algumas horas.

 

 

 

Na Fórmula 1, tivemos um passeio de Sebastian Vettel em Silverstone e uma dobradinha da Red Bull, uma equipe que cresceu absurdamente com a chegada do alemãozinho, que tem tudo para repetir o sucesso do seu compatriota Schumacher. Ainda é cedo para dizer se a Red Bull é candidata ao título, pois Silverstone é uma pista que favoreceu a equipe austríaca. Teremos que esperar as próximas etapas em pistas com características diferentes, mas é bom a Brawn colocar as barbas de molho. Quanto ao enrosco entre FOTA e FIA sobre o teto orçamentário para o próximo ano, as conversas continuam.

 

A Seleção Brasileira jogou fácil contra a Itália e calou a boca do goleiro bufão Buffon, apesar de Robinho. Porque esse garoto ainda é convocado? Ele já provou que não está nem aí com a seleção, foi um dos protagonistas do desastre de 2006, abraçou o Zidane com um enorme sorriso após a eliminação do Brasil na última Copa e está aí, jogando sozinho. Nem uma triangulação simples ele consegue fazer. Se não fosse o Luís Fabiano aquele segundo gol não sairia. Nós torcedores, muitas vezes não sabemos o que rola no meio do futebol, mas o mais comum são as panelas entre jogadores e infelizmente o Robinho é um péssimo ingrediente dessa receita, mas faz parte da panela. Dunga ainda não conseguiu espaço para tirá-lo da seleção. Percebam que quando Nilmar entra ninguém passa a bola pra ele.

 

Apesar da vitória do Corinthians ontem sobre o São Paulo, percebo uma certa falta de sintonia entre Ronaldo, Douglas e Dentinho. Os dois últimos estão claramente boicotando o fenômeno. São muito burros e poderiam consagrar-se jogando ao lado do atleta. As jogadas para Ronaldo invariavelmente saem dos pés de Elias e Christian. Posso estar enganada, mas vejo isso como um aspecto negativo, o que salva o Corinthians é a sua excelente defesa, com a dupla William e Chicão.

 

Muricy Ramalho foi fritado pelos jogadores do São Paulo com óleo fornecido pelo presidente Juvenal Juvêncio e não é a primeira vez que isso acontece. O caso mais clássico aconteceu com Carlos Alberto Parreira na década de 90. Na minha percepção, acredito que a contratação de Ricardo Gomes servirá apenas para que ele dispense os jogadores que causaram toda essa confusão. Já vi isso acontecer em muitas empresas. Existem diretores que são contratados apenas para reestruturar as equipes e depois somem no vento. Posso estar enganado, mas está me parecendo isso. O currículo do Ricardo Gomes como técnico não faz jus ao São Paulo.

 

Assistir Fórmula Indy na Band é ridículo. Os caras ficam passando trechos o dia todo e depois colocam o compacto perto da meia-noite de domingo, após um filme chamado Raptores, com Lorenzo Lamas!?!?!?!?!?!?!? Tenha santa paciência! Se isto foi uma estratégia para atrair os fãs, me desculpem nas vocês erraram. A prova foi vencida por Dario Franchitti da Chip Ganassi, mais conhecido como marido da Ashlley Judd, o 2º beiço feminino mais famoso de Hollywood.

Escrito por Amalio Damas às 08h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

20/06/2009


Será que a Fórmula 1 acabou?

Desde o início desta temporada a associação das equipes de F1 está tentando ganhar a queda de braço com a Federação de Automobilismo, sobre o regulamento do próximo ano. Sem chegar a um acordo sobre o teto orçamentário, oito das dez equipes que participam do campeonato, declararam que irão organizar uma nova categoria ano que vem. Somente Williams e Force India, já acertaram sua participação na temporada de 2010.

 

O que eu acho? Se isso acontecer a Fórmula passará por maus bocados durante alguns anos e depois acabarão se reunindo novamente, como já aconteceu com a Fórmula Indy nos EUA. Só sei que se isso acontecer eu não assistirei mais nenhuma das duas, porque a luta pelo poder não pode superar 59 anos de história.

 

 

Escrito por Amalio Damas às 21h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

16/06/2009


A volta dos que não foram.

saga do cloneAcabei de ler no site Omelete que a Marvel irá publicar uma minissérie revisitando a famigerada Saga do Clone, umas das sequências de histórias mais criticada da carreira do Homem-Aranha.

 

Óbvio caça-níquel, corroborado pela declaração dos criadores originais, que afirmaram que desta vez mostrarão a história como eles imaginaram, ou seja, num mundo onde o departamento de marketing e o editor-chefe não existem.

 

Muitos irão chiar, bufar, espernear, dizer que não era necessário, lotar fóruns de discussão, mas comprarão a revista, só para ver como ficou, para depois chiar, bufar, espernear, dizer que não era necessário, lotar fóruns de discussão e ficar decepcionado.

 

Poupe seu dinheiro, a Marvel esquecerá dessa história e você será mais feliz.

Escrito por Amalio Damas às 14h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Aguarde! Mais um produto para você comprar.

Acabou de passar no programa Boa Tarde da Band, comandado pela Jornalista Silvia Poppovic (um bom programa para início de tarde), que as escovas de dentes devem ser higienizadas com produto específico, caso contrário as bactérias acabam se proliferando e voltando para a nossa boca. Logo, logo nas melhores farmácias.

 

Um desses produtos novos que me deixam meio cabrero é o tal do creme íntimo para mulheres. Será que a água e o sabão não resolvem? Particularmente prefiro o cheiro natural da mulher, devidamente de banho tomado e olha que não precisa ser com muitas horas de antecedência não.

 

Depois não digam que eu não avisei.

Escrito por Amalio Damas às 14h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

O que eu vou ser quando crescer?

Morro de inveja das pessoas que acharam sua vocação. Não aquela inveja ruim de desejar que o cara se de mal, apenas porque é um bom profissional, mas a inveja boa que faz com que nos perguntemos, o que eu preciso fazer pra ter sucesso?

 

Os médicos por exemplo. O cara que escolheu a medicina como profissão tem que ser sempre parabenizado, mesmo que seja para ficar colocando silicone em ricaças, porque só de cortar o dedo eu já me apavoro. Esse cidadão salva vidas com a sua habilidade e fica feliz com isso. Vamos esquecer aqui os Marcelos Carons da vida, que matam e ainda tem a cara de pau de continuar errando.

 

Mas veja bem, sucesso na minha visão, não é ficar milionário e aparecer no Faustão. Você tem sucesso quando se sente feliz com o que faz e com o que tem. Pode ser jornaleiro, enfermeiro, matemático, camelô, Silvio Santos, vendedor de Yakult ou Natura.

 

Meu vizinho é camelô e sempre que fala da profissão dele, a gente sente que ele gosta daquilo, que ele fala com a boca cheia, mesmo tendo que correr da fiscalização de vez em quando.

 

Pra utilizar um exemplo da grande mídia, veja o exemplo da Ivete Sangalo. Nunca vi pessoa mais feliz com o que faz, sempre de alto astral, de bom humor, elegante e simpática.

 

Não confunda felicidade com busca pelo poder. Conheci muito executivo extremamente infeliz, mas que não buscava fazer outra coisa, mesmo tendo dinheiro, para não perder o poder que possuía. Cuidado com o poder, ele é sedutor e pode ser destrutivo, tanto para as pessoas que são massacradas pela manutenção do poder apenas por estarem junto ao poder, quanto para aquele que faz de tudo para manter o poder. E quando falo em poder, estou apontando desde o porteiro do prédio, até o mega-investidor.

 

Eu ainda não achei aquilo que realmente gosto. Já fiz de tudo um pouco e acabei me formando em marketing, a arte de enganar as pessoas, mas eu não sou bom em enganar os outros. Minhas mentiras são todas deslavadas. Tenho afinidade com a música do Odair José “A Noite Mais Linda do Mundo”, que diz no seu refrão:

 

“A felicidade não existe, o que existe na vida são momentos felizes.”

 

Acredito que a felicidade exista e cada um deve achar a sua, porém ainda não a encontrei em sua plenitude, apenas tive momentos felizes.

Escrito por Amalio Damas às 11h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/06/2009


Amalio no Divã II - A Missão

Mulher Melancia 

Hoje tem Amalio no Divã e o assunto é a preferência nacional. Um Top 10 super abundante.

Clique
Divã do Masini.

Imagens:Google.

Escrito por userID: 44072157535firstName: às 08h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Hello Doll-e.

Wall-e
A cada filme que produz, a Pixar se supera e Wall-e não foge a regra.

Na trama, um robô e uma barata são os últimos habitantes da Terra. A terra foi abandonado pelos humanos, porque estava tão cheia de lixo que ficou impraticável sobreviver nela. A raça humana vivem vagando no espaço em gigantescas naves, esperando que o planeta seja limpo.

Último de uma linhagem de robôs compactadores de lixo, Wall-e é um colecionador de objetos usados e um grande fã do musical Hello Dolly. Sua vida muda quando um outro robô chega para verificar se é viável que a humanidade volte a habitar o planeta.

Como em todos os seus filmes, a discussão sempre é, será que estamos vivendo bem? A resposta que temos até o momento é não. Os questionamentos vão desde o descaso com a natureza, a postura individualista, até a utilização da tecnologia para intermediar relacionamentos.

O mais interessante em tudo isso é que os filmes são destinados ás crianças, mas acabando atingindo em cheio, os adultos que levam seus filhos ao cinema ou alugam o filme, pois sempre tratam de temas com os quais nos preocupamos todos os dias e nesse caso, o tema é: que mundo deixaremos para nossos filhos?

Imagens: Google.

Escrito por userID: 44072157535firstName: às 08h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Quadrinhos Teen.

A notícia de destaque deste início de mês foi a adaptação dos quadrinhos da Luluzinha pela Editora Pixel, pertencente ao grupo Ediouro. Baseados no sucesso da revista Turma da Mônica Jovem, produzida pelos Estúdios Maurício de Souza e comercializada pela Panini Comics, que transforma a turminha da Rua do Limoeiro em adolescentes desenhados no estilo mangá, a Ediouro decidiu fazer o mesmo e amadurecer os personagens da turma da Lulu. Bolinha está magro, Lulu perdeu seus caxinhos e Alvinho é um skatista massa véio.

Sem querer entrar no mérito de discutir a qualidade da publicação, até porque não li nenhuma das duas séries, apenas vou imaginar se a moda pega e outros personagens acabem sofrendo as mesmas adaptações.

Mafalda Teen - Mafalda agora é uma adolescente que defende os valores argentinos, dança tango, faz panelaço e acha que Maradona é melhor que Pelé.

Calvin e Haroldo Feroz - Calvin é um adolescente revoltado que tem sempre a companhia do seu pitbull Haroldo. Todas as frustrações que ele sofreu na infância ao ter sua imaginação fértil podada e desacreditada, estão expostas nas suas quarenta tatuagens e nos seus trinta e dois piercings.

Crazy Boy - O Menino Maluquinho cresceu, abandonou a panela da cabeça e agora usa um capacete que combina com sua moto tunada. Louco por pegas de moto nas rodovias, fica doido quando alguém o desafia para um racha. No final das aventuras sempre sofre uma fratura em alguma parte do corpo. Sua meta é entrar para o Guiness Book.

Hugão, Zezão e Luizão - Após a morte do Tio Patinhas, os três sobrinhos do Pato Donald, ficaram responsáveis em proteger a fortuna do velho pato. Equipados com as tecnologias mais modernas, eles vigiam dia e noite a caixa-forte do Patinhas, contra inimigos malignos e malévolos. Eles são barra-pesada, eles tem pegada e estão de olho nos bandidos.

Riquinho Teen - As melhores baladas, os melhores celulares, as viagens mais disputadas e o mundo das clebridades. Todos os meses Riquinho Teen mostrará pra você tudo que o dinheiro pode comprar em lugares como Mônaco, Bahamas e Ilhas Caimãn. Afinal, nunca é cedo demais para visitar paraísos fiscais.

Imagens: Google.

Escrito por userID: 44072157535firstName: às 07h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

09/06/2009


Fuga no Panamá!

Terminei de assistir a terceira temporada de Prison Break e como em todas as temporadas, temos aquele final que não é bem um final, mas um recomeço.

Está temporada foi com certeza a mais fraca de todas até agora. Não sei se isso antecipou o fim do serido que irá terminar na próxima temporada, a quarta e última, ou se foi a mudança de dia e horário ocorrida nos Estados Unidos, fato que é tido como motivo mais relevante para a queda de audiência ocorrida nesta terceira temporada.

Depois de fugir de Fox River na primeira temporada, correr mais que notícia ruim na segunda, Michael Scofield está preso na Prisão Federal de Sona no Panamá, uma verdadeira terra de ninguém. Após a última rebelião, o governo decidiu deixar a "administração" da prisão nas mãos dos presos e apenas cerca a prisão e intervém apenas quando necessário. Com Michael Scofield como hóspede, o nível de interferência aumentou consideravelmente.

Dessa vez, os papéis também se inverteram. Se irmão, Lincoln Burrows, está livre e é obrigado a ajudar o irmão a fugir, pois eu filho foi sequestrado pela misteriosa Companhia.

Michael ainda tem as sombras de Brad Bellick, T. Bag e Alexander Mahoney, inimigos que estão presos na mesma prisão e que não esqueceram o que Michael fez a eles.

São 13 epísódios de conspirações, ameaças, intrigas, reviravoltas e muita ação. Apesar de ser mais fraca que as outras temporadas, a série é muito dinâmica e apenas em um dos episódios, não ficamos com vontade de saber logo o que irá acontecer. A dinâmica entre o irmão mais fraco que compensa tudo com a inteligência e o irmão mais cabeçudo, que compensa tudo na base da porrada, ainda funciona.

Vale a pena alugar.

Fonte: eu assisti a bagaça inteira.

Imagens: Google.

Escrito por userID: 44072157535firstName: às 14h38
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, Livros, Cinema e vídeo

Histórico